22.12.2017
Kesha fala sobre a nota alta de “Praying”: “Tive meu próprio surto pessoal sobre atingir essa nota”

Em nova entrevista para o site Entertainment Weekly, Kesha comentou sobre a high note do single “Praying”, processo de criação da faixa-título de seu novo álbum, “Rainbow”, ser indicada ao Grammy e mais.

Confira a entrevista completa:

Se teve uma fonte segura de arrepios na música este ano, foi o retorno triunfante de Kesha com “Praying”. Mais especificamente, a nota épica que ela atingiu logo antes do coro final que inspirou este vídeo emocionante de fãs pirando com o desempenho.

Acontece que Kesha – um dos destaques do ano pela EW – se sentiu de forma semelhante.

“Eu tive meu próprio surto pessoal sobre atingir essa nota porque eu pessoalmente não sabia que minha voz poderia ir tão alto”, diz a cantora à EW . “É uma prova de que as pessoas devem ir em frente e desafiar a si mesmas, porque você nunca sabe o que pode fazer. Eu não acertei na primeira vez, então a lição é que você deve continuar tentando”.

“Praying” foi o primeiro single do Rainbow, o primeiro álbum de estúdio da Kesha em quase cinco anos, e algumas músicas – como a faixa-título – demoraram muito a serem finalizadas. “Rainbow” levou o maior tempo porque eu escrevi em um pequeno teclado sozinha”, ela explica. “E então eu tive esse sonho de ter toda essa orquestra por atrás de mim e dois anos depois esse sonho se concretizou. A mixagem [levou] mais um ano e meio, de modo que a canção demorou três anos e meio para terminar. [Mas] a visão sempre esteve na minha mente, exatamente como deveria ser”.

Sua paciência valeu a pena: Rainbow rendeu a Kesha suas primeiras indicações ao Grammy, como Melhor Álbum Pop Vocal e Melhor Performance Solo de Pop (com “Praying”). “Foi um sonho meu [ ser nomeada]”, diz ela. “Nos anos 80, minha mãe fez um álbum, e minha avó sempre disse que queria ir com ela para o Grammys. Então, agora que eu vou, vou levar minha mãe, e minha avó estará lá em espírito. Isso é tão significativo para mim”.

Ainda assim, a cantora diz que o verdadeiro destaque de 2017 não foi acumular elogios ou lançar novas músicas – foi conhecer Bob Dylan. “Nunca pensei que isso fosse acontecer”, diz ela. “Ele influenciou tanto a minha vida, foi como encontrar uma um ser divino. E eu recebi dois abraços!”( Segura essa, Jerry Seinfeld.)

Tradução: Dee Vida e Jean Guimarães.

Revisão: Jean Guimarães.

Fonte: Entertainment Weekly.

 

Publicado por

20 anos, carioca, apaixonado por música e arte no geral. Fã da Kesha desde 2010.

, ,
2017 © Portal Kesha - Direitos Reservados | Hospedado por Flaunt - Layout por Isaac